POR DEUS, Nicolle!

POR DEUS, Nicolle!

Qual é o lucro do projeto Doces Viajantes?

Estou vendendo brigadeiros a 1 real para financiar o sonho de fazer um intercâmbio. O nome deste projeto é "Doces Viajantes".

Criei o Doces Viajantes em julho de 2017. Precisava juntar dinheiro com urgência para terminar de pagar uma viagem que já estava programada, e depois que tudo deu certo, resolvi dar um novo objetivo para o projeto: destinar toda a verba para realizar o sonho de fazer um intercâmbio.

O Doces Viajantes está parado desde setembro por motivos que ainda não convém abrir (não cheguei nesse nível de conforto), mas uma das metas para 2018 é colocá-lo em prática novamente. Planejo relatar todo o processo aqui no PD,N! e no instagram que criei especialmente para o projeto (@_docesviajantes), começando hoje mesmo, neste post. Para a primeira pauta deste ano decidi falar sobre quanto uma receita de brigadeiros custa, e qual o valor que eu consigo lucrar em cima de cada uma delas. Bora lá!

O valor de cada receita varia um pouco por dois motivos: 1) nem sempre as latas de leite condensado rendem a mesma quantidade de brigadeiros e 2) os preços dos ingredientes não são fixos. É bastante comum encontrar alguns itens em promoção (graças aos céus, amém descontinho! hahahaha). Vou colocar aqui a quantia máxima que paguei em cada coisa, até o momento.

  1. Formas de papel: R$ 2,15 (200 unidades)
  2. Chocolate em pó: R$ 9,99 (rende 4 receitas)
  3. Leite condensado: R$ 3,78 (mas já encontrei por bem menos do que isso em algumas compras)
  4. Granulado: R$ 7,10 (costuma render até 5 receitas. É o pacote grande)

Tem mais um ingrediente, mas ele é meu segredinho e vou deixar pra citá-lo apenas no instagram, na foto em que pretendo revelar a receita completa (não, não é a manteiga/margarina)!

Em geral cada receita costuma render entre 25 e 28 unidades. Vamos fazer os cálculos a partir do mínimo, 25.

  1. Formas de papel: R$ 0,25
  2. Chocolate em pó: R$ 2,50
  3. Leite condensado: R$ 3,78
  4. Granulado: R$ 1,42

Cada receita custa, em média, R$ 7,95. Vendendo os brigadeiros a 1 real, lucramos R$ 17,05!

(Foto: Ana Flávia Cador)

No último post do Doces Viajantes compartilhei com vocês qual a primeira meta que quero atingir com a venda dos brigadeiros. Antes de pensar em destinos e tudo o mais, eu tenho que tirar o passaporte. Considerando que ele custa R$ 257.25, eu preciso vender 25 brigadeiros ao longo de 17 dias para chegar nessa quantia. 17 dias para atingir minha primeira meta (pois é, pois é, ainda não consegui isso. Juro que em algum momento de 2018 eu explico o motivo)

Espero que tudo dê certo e que seja possível realizar esse sonho ❤

Facebook ✩ Instagram ✩ Skoob

Doces Viajantes: Primeira meta para o intercâmbio
Projeto "Doces Viajantes" e minha vontade de desbravar o mundo

10 lembranças boas de 2017

Hora de lembrar tudo o que aconteceu de bom no ano!

1. Acompanhei um dos fotógrafos que mais admiro em um ensaio que rolou lá em Bonito (MS).

Campo Grande conta com uma gama muito grande de fotógrafos e eu, enquanto membro disso, me sinto honrada por partilhar esse espaço com pessoas tão incríveis. Um deles é o Joel Junior. Focado em fotografia de família, o Junior arrasa naquilo que faz e ter recebido o convite para acompanhá-lo em um ensaio, ainda mais esse ensaio sendo em Bonito — um dos lugares mais incríveis que já tive a sorte de visitar —, foi um presente e tanto que ganhei da vida. Obrigada pela oportunidade, amigo! A experiência fez uma diferença enorme no meu olhar enquanto profissional, e também no meu 2017.

2. Organizei uma rifa literária e vários amigos me ajudaram a vender os números.

Nana, minha gatinha, ficou doente e para arrecadar dinheiro pras consultas, exames e remédios, eu decidi rifar alguns livros que comprei. Na época eu já estava passando por problemas financeiros causados por um acidente que sofri, então encontrar formas de conseguir essa verba pra tratar da minha menininha foi mais do que necessário. Como eu não sou uma boa vendedora, um grupo de amigos me ajudou a vender cada número, espalhando a ideia da rifa por todo o Brasil! Sou muito, muito grata por todo o apoio!

3. Criei o projeto Doces Viajantes.

Sabe o problema financeiro que comentei no parágrafo anterior? Então, além da rifa, ele fez com que eu criasse um outro projeto. Explico. Eu já tinha uma viagem programada pra agosto, tendo as passagens aéreas compradas e tudo. Mas a grande questão é que Juiz de Fora (meu destino) não é uma cidade com aeroporto, então eu teria que descer em Belo Horizonte e de lá, pegaria ônibus pro interior. Essas passagens não tinham sido compradas ainda e eu estava sem dinheiro HAHAHAH O Doces Viajantes nasceu para suprir essa necessidade. Eu venderia brigadeiro a 1 real na faculdade, e documentaria toda a experiência no instagram que criei especialmente pra isso. Hoje o projeto ganhou um novo propósito <3

4. Viajei pra Juiz de Fora.

Consegui ir pro interior de Minas pra passar uma semana com amigas que conheci pela internet!

5. Em Juiz de Fora tive uma breve experiência de como é morar sem os pais, dividindo apartamento com amigas.

Precisei colocar essa experiência em destaque aqui no post. Foi incrível, gente. Foi absolutamente incrível! As meninas estudaram juntas no Ensino Médio e decidiram sair da casa dos pais, na Bahia, pra cursar a faculdade na UFJF. Éramos seis criaturinhas entre 22 e 25 anos dividindo o apartamento sem a presença de qualquer outra pessoa mais velha e eu, que nunca tinha vivido nada semelhante, fiquei embasbacada em como achei tudo tão gostoso. Deu vontade de morar sozinha? Ô se deu…

6. Vi Momo colocar quatro gatinhos no mundo e um deles veio morar com a gente, o Lupin.

Não vou me prolongar muito nesses tópicos porque ambos já ganharam posts individuais aqui no PD,N!, mas não poderia deixar de citar em uma lista que contem as coisas mais importantes do ano. Você pode ler mais sobre clicando nos links abaixo:

Vamos adotar os filhotinhos da Momo?

Conversando sobre adoção e a chegada do gato Lupin

7. Fui uma das fotógrafas contratadas pra cobrir uma festa com 35 aniversariantes!

Mesma coisa do parágrafo anterior! Já teve post a respeito por aqui, mas foi especial o suficiente para ser citado de novo. Para ler como tudo aconteceu, segue o link:

Amigos desde a barriga: a festa de 35 bebês

8. Voltei a frequentar a academia.

A parte em que parei de ir tão rápido quanto voltei a gente ignora, tá? JURO QUE VOLTO EM JANEIRO.

9. Comecei a escrever uma fanfic!

Crio histórias sem parar desde dezembro de 2013, mas o hobby ao qual eu me dedicava era compartilhado com outras tantas pessoas — uma história escrita por várias mãos, digamos assim — e eu senti a necessidade de fazer algo completamente sozinha. Uma trama que dependesse só de mim pra acontecer, entende? Lembrei das fanfics. Escrevia esse tipo de história em 2005/2006, todas devidamente postadas em comunidades do Orkut. Pois voltei pra esse mundo no final de 2017! Como o Orkut não existe mais, o local que escolhi pra publicar a minha criação foi o Fanfic Obsession, site de fics interativas (posso escrever um post especificamente sobre isso ano que vem!).

10. Consegui concluir pelo menos um semestre na faculdade (e sim, isso é uma grande vitória).

Desde o ano passado a minha presença na faculdade é quase como a de uma turista. Desleixo? Antes fosse. As vezes nós precisamos colocar nossos afazeres na balança e comigo ou eram os estudos, ou era o trabalho, ou era a minha saúde física e mental, e estes últimos foram os que se mostraram mais necessários. Ver que consegui concluir um semestre depois de quase 1 ano afastada foi uma realização enorme.

2017 foi o ano mais difícil da minha vida (por questões que não foram e nem serão exploradas aqui no blog), mas ver que pude tirar essas 10 coisas boas dele deixou meu coração cheio de gratidão. Como foi o ano de vocês? Quais foram os melhores episódios dos últimos 12 meses? ❤

Facebook ✩ Instagram ✩ Skoob

Conversando sobre adoção e a chegada do gato Lupin
Vamos adotar os filhotinhos da Momo?
Entre risadas, livros e cafés
Página 1 de 44
12345... 44››