Outro dia, David Levithan

Em 30.03.2016   Arquivado em Livros

Tem eletricidade nos olhos de Justin. Energia. Luz. Ele tranca o armário e me empurra. Não compreendo. Estamos andando de mãos dadas por corredores praticamente vazios. Nunca fazemos isso. Ele tem esse sorriso no rosto e começamos a andar mais rápido. É como se fôssemos crianças na hora do recreio. Correndo, realmente correndo pelos corredores. As pessoas olham para nós como se fôssemos malucos. É ridículo. Ele gira comigo e chegamos perto do meu armário, então diz para eu também deixar meus livros. Não entendo nada, mas obedeço — ele está de ótimo humor e eu não quero fazer nada para acabar com isso.

Só fui me dar conta de que Outro dia é a história de Todo dia contada sob o ponto de vista de outra personagem quando cheguei em casa. A primeira reação foi ficar chateada. Sério que eu tinha comprado o segundo livro de uma sequência sem perceber de novo?! Até que li direitinho, respirei e fiquei mais tranquila. Eu não tinha comprado um segundo livro. Eu tinha comprado apenas a mesma história, só que escrita por outra personagem. Sem sequências. Sem problemas! Não ficaria prejudicada por não ter lido Todo dia ainda.

Me dói o fato de eu poder estar tão cheia dele enquanto ele está tão vazio de mim.” (pág. 07)

Rhiannon e Justin namoram há mais de um ano, e logo no início deu pra perceber que o relacionamento parece um campo minado. Rhiannon precisa tomar cuidado com seu jeito de agir e com o que fala, tudo para que Justin não fique irritado; tudo para não causar nenhuma briga ou discussão desnecessária. Nada de fazer planos (mesmo que “planos” seja “combinar de ir a uma festa no próximo sábado”). Demonstrações públicas de afeto? Carente demais, melhor não. Escolher a música que vai tocar no rádio quando estão no carro dele? Meu carro, meu rádio. Ele escolhe.

Até que em uma segunda-feira as coisas estão diferentes. Justin está tão bem humorado! Não só isso, Justin está disposto a fazer um programa diferente, algo que tire os dois da rotina e não para por aí! Justin quer a opinião dela para saber o que os dois podem fazer juntos naquele dia. Isso mesmo!! Ele quer que ela participe dos planos. A surpresa e confusão de Rhiannon é tanta que ela pensa que aquilo é um teste, que ela precisa dizer as coisas certas, mas… não. Não é um teste. Justin quer saber aquilo de coração e é Rhiannon quem guia o caminho do que vão fazer.

Que segunda-feira foi aquela, hein? De longe, um dos melhores dias para Rhiannon. Foi tão bom que ela não se aguenta de vontade de repetir a dose, mas aí ela se surpreende mais uma vez. No dia seguinte, Justin não lembra o que eles fizeram (ao menos não com a mesma clareza).

As surpresas na vida da estudante de 16 anos continuam. Logo ela descobre porque a memória de Justin está tão falha, tão cheia de lacunas, e assim conhece “A”.

“A” é uma pessoa que todos os dias acorda em um corpo diferente. Hoje pode ser menino, amanhã pode ser menina, depois de amanhã pode amanhecer em alguém que não se identifica com o gênero designado no nascimento. Não importa quem seja, “A” pode acordar no corpo de qualquer um e eu amei tanto isso! Amei a abertura para falar sobre gêneros, ainda que não tenha sido uma pauta tão aprofundada.

Embora eu realmente queira que tudo acabe, também fico preocupada com o que vem depois.” (pág. 16)

Esse não foi o único ponto que achei interessante. É tão claro que Rhiannon e Justin vivem um relacionamento abusivo que essa informação consta até na orelha do livro. Achei ótimo colocarem essa pauta de um jeito tão explícito, principalmente porque esse livro deve passar pelas mãos de muitos adolescentes e jovens adultos. Bora identificar relacionamentos abusivos aí, gente. Bora identificar essa situações nada saudáveis e parar de maquiar com “ah, ele vai mudar”, “ah, mas eu gosto tanto dele”, “ah, mas ele é assim e pronto”. Pelo menos não houve um afastamento tão brusco (tipo, pararem de se falar completamente) entre Rhiannon e os amigos e isso me deixou feliz.

Sei que diz que me ama, mas não me conhece realmente.” (pág. 102)

Uma coisa que me irritou de monte (ao ponto de considerar parar a leitura): essa coisa de “eu amo você” quando acabou de conhecer/conhece há pouquíssimo tempo. Isso me irrita de um jeito que não sei nem explicar. Ainda bem que uma das personagens soube contornar a situação e deu uma salvada na história, ou então eu acho que teria mesmo parado de ler. Outra coisa que me deixou confusa foi a forma como colocavam “A”. As vezes eu não entendia se o trecho tava se referindo à personagem ou ao artigo definido. Também senti que o livro demorava pra passar. Não foi uma leitura tão fluída assim.

Isso não muda o fato de que a mensagem que Outro dia passa é linda. Acompanhamos Rhiannon aprendendo o que realmente precisa ser valorizado. Olhe para o motorista, não para o carro.

Terminei Outro dia com vontade de saber como “A” deve ter narrado Todo dia.

Editora: Galera Record | 318 páginas | ISBN: 9788501106834

Facebook ✩ Instagram ✩ Skoob

  • Elileudo Júnior

    Em 30.03.2016

    Olá 🙂
    Em um grupo de blogueiros que participo tem um cara que é super fã desse livro e estou me convencendo a lê-lo. Gostei da mensagem que o livro passa.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    A mensagem é linda! Espero que você também goste do livro, Elileudo :3

  • Saga Literaria

    Em 30.03.2016

    Olá Nicolle,

    caramba adorei as fotos do post, ficaram muito lindas. Apesar de algumas coisas que ficaram confusas para você durante a leitura, é bom saber que no final das contas gostou, achei muito legal também que o livro retrata o “dia a dia”, que a mensagem de fato é muito bonita, pois visa valorizar as pessoas pelo o que elas são, o interior, o “eu”. Gostei de você ter incluído passagens do livro na resenha, que por sinal acrescentou em qualidade, a capa da obra é muito bonita. Está de parabéns pelo post. http://www.sagaliteraria.com.br

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Que alegria ler esse comentário! *-*

    Foi gostoso acompanhar essas descobertas com Rhiannon. Ainda bem que não interrompi a leitura quando pensei em fazer isso!!!

    Muito obrigada por cada palavra <3

  • Amanda

    Em 30.03.2016

    Desde que cê falou pra mim da historia desse livro fiquei meio ~assim~ pra ler (Até porque: David Levithan <3 ja tenho o maior amorzinho por esse homem desde Wiwiwill)

    Também acho muito legal essa trama com "A" aparecendo cada vez numa pessoa diferente! Tramas envolvendo "identidade de gênero" (mesmo que vagamente) ainda estão aparecendo devagarinho, mas tudo bem pq afinal é um tema que exige tempo pras pessoas assimilarem. Mas sei la, né. Da pra abordar isso de um monte de formas. E ok, não precisa ser do jeito mais realista kk. Da pra explorar essa ideia de um monte de jeito maneiro.

    Enfim. A proposta do livro me parece massa, botei fé, arrasou. Leria sim, embora no momento eu esteja meio ocupadinha com uma saga de 7 livros, presa no meio do 4, ejeje

    Bjsbjbsjbs

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Tô achando a coisa mais linda você lendo Harry Potterrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr <3 Mas sim, Outro dia (já tava digitando Will&Will what): vou te emprestar esse livro!!! Ele não aborda tanto assim a questão de gênero, mas aparece a confusão de Rhiannon sobre o assunto, já que, né, ela não tá acostumada. Acho que em Todo dia pode falar mais, mesmo que de um jeito bem sutil.

  • Catrine

    Em 30.03.2016

    Ooi
    Primeiramente, me identifiquei muito quando disse que se irrita quando os personagens já ficam dizendo que se amam logo no começo. Sempre fico com raiva disso kkkkkk Maaas, mesmo assim achei bem interessante a história e a capa é linda.
    Beijoos!
    http://www.estantemineira.blogspot.com

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Ai, mas irrita pra caraca, né? Coloca toda a veracidade do sentimento em dúvida, já que mal conhece a outra pessoa. Parece bem da boca pra fora, só uma tentativazinha chata de conquista ): Muito chato.

    Que bom que despertou seu interesse (sinal que os pontos positivos falaram bem mais alto pra ti e isso é lindo!) <3

  • Roberta Ferreira

    Em 30.03.2016

    Olá, tudo bom?
    Confesso que amei “Todo Dia”, mas quando soube que esse livro era na versão dela desanimei. Não gostei dela como protagonista, A é muito mais interessante. Mas quem sabe a curiosidade não me vença, né? A escrita do David é maravilhosa e envolvente e isso me deixou completamente apaixonada. Espero gostar tanto quanto você quando eu ler.

    Beijos, Rob
    http://www.estantedarob.com.br

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Oi, Roberta! Tudo supimpa, e a senhorita?

    Tô com vontade de ler Todo dia ): “A” parece ser incrível mesmo (ele como Nathan foi meu preferido, inclusive), apesar de algumas coisinhas terem me incomodado nele.

    Tomara que goste mesmo <3

  • Lilian Farias

    Em 30.03.2016

    Que relacionamento estranho entre Rhiannon e Justin, mas quando chega nessa parte de “A”, achei inovador e muito legal, alguém sem definição de gênero que simplesmente ama isso é magnífico.

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Estranho nada, é abusivo mesmo. Complicado isso aí :~~
    Mas o desenvolvimento de Rhiannon e “A” é uma gracinha mesmo e esse ponto de não ter gênero definido eu achei 10/10!!!

  • Morgana Brunner

    Em 30.03.2016

    Oiii, tudo bem?
    Menina, fiquei chocada em relação ao seu nome, achei um amorzinho puro <3 bem diferente!
    E sobre este livro, eu me agradei muuuito pela sua resenha, eu não conhecia a obra e até então achei a premissa e o enredo bastante interessante.
    Beijão <3

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Oi, Morgaaaana! Tudo nos conformes, e você?
    NDFJGNDFJGNDFJGNDFJNG cara, tem gente que nem acredita que é mesmo meu sobrenome, acham que é zoera dfjgndjgn (mas eu nunca brincaria com isso, né, seria demais). Obrigada <3

    Fico feliz que tenha gostado da resenha *-* Beijo enorme!

  • Diana Brito

    Em 30.03.2016

    Meninaaaaa eu li a resenha do primeiro livro, aliás, do ‘todo dia’ e achei interessantíssimo! E sobre comprar continuações sem saber, fico feliz por não ser a única! Kkkkk agora por sua culpa não quero mais um livro, é sim dois! Hunf kkkkk bjooo

    http://www.porredelivros.blogspot.com.br

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    NDFGJNDFJGDNFGJNDFGJN Desculpa??? JSDFNJSDFN

    Ah, Di, você não é a única meeesmo. Tô lá com uns dois livros “parados” na estante porque comprei o segundo crente que eram livros soltos, mas não, são os segundos de uma série. TRISTE

  • Quel

    Em 30.03.2016

    Olá, vejo ótimas críticas a respeito dessa obra…quero ler também.
    Sua resenha ficou ótima 😉

    Abraços

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Muito obrigaaaaada, Quel :3

    Beijócas!

  • mariana

    Em 30.03.2016

    Oi Nic, (primeiro, preciso dizer que amei teu blog!)
    Eu sou APAIXONADA por David Levithan e Todo Dia é – de longe – meu livro favorito. Acho que a leitura desse “segundo” fica sim prejudicada sem a leitura do primeiro. “A” é um personagem etéreo e sua existência é mais explicada no primeiro livro. Todo seu modo de pensar e a grande mensagem por trás da história está no primeiro livro. De qualquer forma, sei como é comprar o livro errado kkkkkk, espero que você possa ler Todo Dia, certeza que vai amar. <3

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://sobreamorelivros.blogspot.com

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito obrigada, Mari <3333 Seu comentário me deixou muito feliz *-*

    Jura que prejudica? ): Pensei que por ser a mesma história, mas apenas contada sob outro ponto de vista, não faria tanta diferença assim, sabe? Mas, de fato, toda a essência de A deve aparecer com força total em Todo dia, por ser narrado por elx. É por isso mesmo que a minha vontade tá tão grande.

    Beijão <3

  • Kamila Villarreal

    Em 30.03.2016

    Olá!

    Eu tentei ler aquele do mesmo autor, mas o de capa laranja, bem antigo, infelizmente não lembro o nome, mas lembro que a leitura não fluiu. Desde então, passou longe desse autor. Mesmo com uma premissa que nos faça refletir, esse livro não me chamou tanto a atenção. Dificilmente eu o leria…

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Entendo, Kamila :3 As vezes a gente pega trauminha mesmo, mas às vezes é bom dar uma segunda chance. Já fiquei “negoçada” com alguns livros (séries, filmes também) e depois de um tempo (anos, até) tentei ler novamente e deu muito certo <3

  • Maria Valéria

    Em 30.03.2016

    eu até quis ler Todo dia mas não gostei da escrita do autor, me frustei… então não sinto interesse de ler Outro dia, seria a mesma coisa só que contada por outro ângulo.. eu não curto livros desse tipo… pra mim, ter lido só um já me bastou pra saber da trama…

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Saquei :3 Os gostos acabam variando mesmo. Eu gostei bastante da escrita dele e já tive uma outra experiência com David antes de Outro dia, então não tive problemas quanto a isso.

    Beijo, Maria!

  • Livros&Tal

    Em 30.03.2016

    Olá…
    Vc acredita que até hj eu nao tive a oportunidade de ler nenhum livro do autor?
    Eu tenho curiosidade de ler essa história e curti muito a forma na qual você escreveu a sua resenha, parabens

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Vaaaaamos mudar isso aí, May! A escrita do David é muito gostosa, recomendo <3

    Muito obrigada *-* Beijão!

  • SUZZY CHIU

    Em 30.03.2016

    Oioi!
    Acredita que até hoje nao li nada do David Levithan?! To bem por fora, hehe.
    Não sabia que Outro dia é a história de Todo dia contada sob o ponto de vista de outra personagem, isso está acontecendo em varios livros ne? Eu ate gosto, ainda mais qdo eu sou fã do livro anterior.
    Tb me irrita esse povo que ja fica falando “eu amo você” e nem conhece a pessoa direito.
    Vou ler um dia os livros do David.
    Beijos!

    Livros e Sushi • Facebook InstagramTwitter

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 30.03.2016

    Mesma coisa que disse pra Mayara, Suzzy: vamos mudar isso aí! JDNGJDN Vamos conhecer o trabalho do David sim, vale a pena <3

    Todo dia/Outro dia foi o primeiro que encontrei que são contados por personagens diferentes. Super aceito a recomendação de outros nesse formato, viu? Meu bolso não vai curtir tanto, mas acho muito válida essa ideia. Dá pra conhecer bem melhor os personagens, o que é ótimo!

    Beijão <3

  • Luciana

    Em 30.03.2016

    quero muito, muito mesmo <3