Os 13 porquês, Jay Asher

Em 08.06.2016   Arquivado em Livros

Para Clay Jensen, as fitas cassetes gravadas por Hannah Baker não tem nada a ver com ele. Hannah está morta. E seus segredos devem ser enterrados junto com ela. Só que a voz de Hannah diz a Clay que o nome dele está em uma das histórias dessas fitas — e que ele, de alguma maneira, é responsável por sua morte. Tomado por espanto, angústia e muito medo, Clay permanece escutando as gravações madrugada afora. Ele segue as palavras de Hannah pelas silenciosas ruas de sua cidade… e o que ele descobre, muda sua vida para sempre.

Aquele deveria ser um dia como outro qualquer. Clay Jensen chegaria do colégio, seguiria com a sua rotina diária e pronto, tudo estaria exatamente como sempre foi, exceto pelo fato de que havia um embrulho destinado a ele na porta de sua casa. Sete fitas cassetes o aguardavam, cada uma delas numeradas com esmalte azul. Sete fitas, onde seis carregavam duas histórias e a sétima, apenas uma, todas contadas por Hannah Baker. Sete fitas, treze histórias. Os 13 porquês que levaram uma adolescente a cometer suicídio.

Se você recebeu as fitas de Hannah, significa que pelo menos uma das histórias envolve o seu nome; significa que você foi uma das pessoas que contribuiu com a decisão dela de acabar com a própria vida. Clay não entende como ele pode fazer parte daquela lista. O que ele poderia ter feito, afinal?! Ele tinha um sentimento muito especial por Hannah, ele não poderia ter contribuído com uma coisa dessas. Não, deveria haver algum engano. Alguém mandou aquele embrulho para a pessoa errada!

“Quando você chegar ao fim das fitas, (…), espero que compreenda o seu papel nisso tudo. Porque talvez pareça um papel pequeno agora, mas é importante. No fim, tudo tem importância.” (p. 17)

Na primeira fita, Hannah dá algumas explicações. Se você recebeu as fitas, obrigatoriamente precisa escutar todas e passá-las para a frente; tem que enviar para a pessoa que aparece na história após a sua. Se você não fizer isso até que as treze pessoas saibam como ajudaram a menina a se matar, todas aquelas histórias vão vir à tona e não de uma forma que apenas os treze indivíduos descubram o seu conteúdo. Ela promete: vai ser escandaloso. Hannah se certificou de cuidar desses detalhes antes de partir.

A narradora também lembra seus ouvintes que eles receberam um mapa da cidade semanas antes, um mapa onde certos pontos haviam sido marcados com estrelas. Cada ponto é o cenário de alguma história e ela, através da narração, indicaria a direção que as pessoas deveriam seguir caso quisessem ouvir seus motivos nos locais onde eles tinham se desenrolado. Clay começa a ficar na dúvida se foi mesmo um engano ter recebido aquelas fitas. Tinham deixado um mapa com aquelas características dentro de seu armário no colégio, e Hannah ainda estava viva quando isso aconteceu. Mas o que ele tinha feito?! O que ele fez pra merecer estar naquela lista??

“Sei que você não teve a intenção de me magoar. Na verdade, a maioria de vocês, que estão ouvindo as fitas, provavelmente não tinha ideia do que estava fazendo… do que realmente estava fazendo.” (p. 17)

Ele decide ir até os locais apontados, guiado pela voz de Hannah. A cada história, um choque. A cada motivo, a indignação, a vontade de dar um murro na cara dos envolvidos (e alguns realmente apanharam, na história).

Nós ficamos sabendo como foi o primeiro beijo dela, e os episódios que correram depois disso. É uma bola de neve. Uma coisa leva a outra, e a outra, e a outra, e a vontade de Hannah permanecer viva vai se diluindo aos poucos. Anos separam a primeira história da última. Foram anos passando por situações desagradáveis, muitas delas desencadeadas por uma mentira sem fundamento.

Várias vezes eu precisei interromper a leitura, exatamente como Clay apertava o pause do walkman quando uma história chegava ao fim. Muitas delas foram difíceis de digerir. Eu só conseguia pensar que muitas meninas passam diariamente pelas coisas que Hannah (e uma outra personagem que, na trama, provavelmente só descobriria o que aconteceu com ela através das fitas) passou, e se sentem de forma muito semelhante. Não teve como não sentir um aperto no peito, o estômago embrulhado, o choro entalado na garganta. Choro esse que não deu pra segurar, não.

“Não dá pra fugir de si mesmo. Não dá pra tomar a decisão de deixar de se ver pra sempre. Não dá pra tomar a decisão de desligar aquele ruído dentro da sua cabeça.” (p. 153)

É uma leitura pesada. Ninguém comete suicídio do nada, a pessoa dá sinais de que tem algo acontecendo no íntimo dela. Todas e todos que pensam nisso com certeza tem seus motivos e nenhum pode ser apontado como bobeira, porque se essa “bobeira” contribui com pensamentos desse tipo, isso significa que deve pesar demais dentro da pessoa ao ponto dela não aguentar mais. Os motivos jamais devem ser diminuídos ou julgados. Ninguém tem o direito de fazer uma coisa dessas.

“Foi naquela mesa que os piores pensamentos do mundo entraram, pela primeira vez, na minha cabeça. Foi ali que comecei a pensar em… a pensar em… na palavra que ainda não consigo dizer.” (p. 139)

Além de pesada, a leitura d’Os 13 Porquês também toca lá no fundo do peito. Terminei desejando que as fitas fossem à público e alguns dos 13 envolvidos acabassem presos.

Eu não encontrava a edição traduzida em lugar nenhum quando meti na cabeça que queria ler, então recorri à edição em inglês (obrigada, João, por ter me ajudado a comprar!). Foi o primeiro livro que li inteiro nesse idioma e depois que consegui ler em português, percebi que tinha entendido tudo perfeitamente. Isso me leva a crer que não é uma leitura complicada, nesse sentido. Eu recomendo. Foi uma das melhores leituras que fiz em 2015.

Falar sobre suicídio não deve ser encarado como tabu. Não é um incentivo para quem pensa em acabar com a própria vida cometer o ato. Nunca. Nunca. NUNCA. São conversas que precisam acontecer, desabafos que tem de ser feitos; é um assunto que tem que ser tratado com atenção e cuidado.

A última página do livro em português é um aviso: caso você se identifique com os sintomas de Hannah Baker e precise de ajuda, procure o posto de atendimento mais próximo da sua região. Todas as emergências dos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) atendem a casos de tentativa de suicídio. O telefone do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) é 192.* 

Dados do livro em português:

Editora Ática | Páginas: 244 | ISBN: 9788508126651

Dados do livro em inglês:

Editora: Razorbill | Páginas: 288 | ISBN: 9781595141880

Facebook ✩ Instagram ✩ Skoob

  • Enya

    Em 08.06.2016

    amei esse post, nii! vc sempre muito sensível e atenciosa na hora de expôr suas opiniões <3 eu não sou de ler resenha, mas essa me deixou com muita vontade de começar o livro. vou ver se encontro em algum sebo… mas enfim, beijinhos!!

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Posso emprestar quando nos encontrarmos <3

  • vanessa

    Em 08.06.2016

    Olá lindona.
    Gostei demais da sua resenha e de seu blog.
    Sempre que venho aqui encontro um conteúdo bacana.
    Espero visitar o blog muitas vezes ainda. Parabéns pelo trabalho e dedicação para manter o blog.
    Beijos.

    meumundosecreto

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Muuuuito obrigada, Vanessa! *-* Será sempre muito bem-vinda no PD,N! <3

  • Mari

    Em 08.06.2016

    Tenho medo de ler esse livro, porque costumo ficar remoendo a história depois, por dias. Não me faz bem, sabe? Mas achei super legal como você colocou na resenha sobre a importância de nunca se julgar uma pessoa que comete um suicídio, porque é verdade: nunca sabemos pelo que ela está passando.
    Beijos
    Mari
    http://www.pequenosretalhos.com

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Se pode ser trigger pra ti, baby, melhor ler quando estiver ok com o conteúdo mesmo. Leitura nenhuma foi feita pra nos fazer mal!
    Chocar, refletir, etc, sim. Mas prejudicar, nem nem.

    Achei importante fazer essas observações. Já ouvi tanto absurdo sobre esse assunto :~~ de “isso é coisa de gente covarde” a “sério que se matou por isso?! idiota” e, argh, tenho nojo.

  • Cristina Deutsch

    Em 08.06.2016

    Oi, como vai?

    Muito interessante esse livro, não conhecia e quero ler o mais rápido possível. Adorei sua resenha, parabéns!

    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Muito obrigaaada, Cris! Depois que você ler, me conta o que achou :3

  • Vickawaii

    Em 08.06.2016

    Adorei a resenha, super completinha! O livro parece ser interessante, mas meio pesado. Só de ler a resenha fiquei imaginando euzinha recebendo as fitas, me vendo como responsável pelo suicídio de uma pessoa >_<

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Sim, é pesado ): Mas sim, também é interessante mesmo. Ainda não tinha lido nada igual abordando essa temática.

    Obrigada, Viii <33

  • Joanna Amaro

    Em 08.06.2016

    Suspiro… Eu sou louca pra ler esse livro, mas se sua resenha já me fez perder o ar, imagina o livro. Suicídio e depressão são coisas tão sérias que deveriam ser mais discutidos em escolhas com a orientação de um psicólogo, coisas que não acontecem. Espero ler este livro, mas me sinto instável demais para esse tipo de leitura. Adorei a resenha!

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Concordo contigo, Jo :~~ Depressão até que não, mas suicídio é visto como tabu e por isso nunca é debatido; isso tá errado em tantos níveis que nem sei! Leia quando se sentir pronta para. Não se pressione a.

  • Milca Abreu

    Em 08.06.2016

    Parece muito interessante. Adoro esse tipo de histórias. Sua resenha ficou muito boa e sem dúvida vou procurar esse livro.

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Obrigada, Milca! Espero que seja uma leitura que te faça refletir tanto quanto fez a mim.

  • Clayci

    Em 08.06.2016

    Eu gostei muito desse livro, Nic!!!
    E ainda quero ler pela segunda vez..

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Somos duas, Clay! É uma leitura que vale a pena.

  • Jess

    Em 08.06.2016

    Olá!
    Lembro que já li esse livro há muitos anos atrás e sua resenha me despertou uma vontade imensa de ler essa obra de novo. Uma pena que seja tão difícil de achar esse livro por aí hoje em dia.
    É uma leitura pesada, profunda e tocante, mas necessária. Uma grande obra, sem dúvidas =)
    Ótima resenha!
    Beijos!

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    É um livro difícil de se achar mesmo. Na internet eu não encontrei em canto nenhum; fiquei até surpresa quando o encontrei na livraria Cultura. Não tava esperando.

    Mas realmente, Jess, é um livro que vale a pena ser lido e relido várias e várias vezes.

    Obrigada!

  • Barbara Prado

    Em 08.06.2016

    Esse livro está há muito tempo na minha wishlist e eu sempre acabo comprando outro na frente, prioridades né hahah
    Mas depois de ler sua resenha, eu preciso lê-lo o mais breve possível!!!
    Beijos

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Tomara que você consiga ler logo, Bárbara <3

  • Daniela

    Em 08.06.2016

    Semore que vejo algo sobre esse livro fico mais curiosa para ler. Adorei a resenha, demostrou muito bem que essa é uma leitura profunda e pesada. Tenho certeza que é maravilhoso, lerei em breve.

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Leia sim, Dani :3 e obrigada!

  • Juliana Xavier

    Em 08.06.2016

    Suicídio é uma coisa que não entra na minha cabeça, e por isso não consigo ler livros sobre o tema. Não consigo me identificar e dificilmente me envolvo como deveria com o enredo. Sim, o motivos não devem ser diminuídos ou julgados, mas acho que sempre tem uma outra saída. Claro, essa é uma concepção pessoal minha, sei que às vezes as pessoas não conseguem enxergar outra opção.

    Ju – Entre Palcos e Livros

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Por essas e outras a pauta deveria ser mais debatida e não tratada como tabu nessa nossa sociedade ):

  • Rafaelle Vieira

    Em 08.06.2016

    Olá!
    Adorei sua resenha! Li algumas indicações desse livro e já fiquei muito curiosa com ele, o que me desanima é a história pesada, não gosto de leituras sobre esse tema, por isso prefiro não ler.

    Beijos,

    Rafa [ blog – Fascinada por Histórias]

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Leia quando se sentir confortável para, Rafa. É uma leitura que vale a pena.

  • SUZZY CHIU

    Em 08.06.2016

    Oioi! Tudo bem?
    Muita gente fala super bem do livro Os 13 porquês e eu sempre quis ler, mas nunca conseguir comprar.
    Foi otimo que li mais uma resenha do livro e isso so aumentou a vontade de conhecer mais da trama e dos personagens, os rumos que eles tomaram.
    A leitura é bem pesada mesmo, mas ainda quero mto ler.
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Tomara que você consiga encontrar um exemplar, Suzzy! Ele é complicadinho de achar mesmo (e isso é péssimo).

  • Debyh

    Em 08.06.2016

    Olá,
    Concordo com você quanto a falar de suicídio não ser tabu, mas mesmo assim não gosto de ler livros sobre o assunto. Mesmo assim já ouvi muitos elogios quanto a história.

    http://euinsisto.com.br

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Entendo. Bem, é uma leitura que traz muitas reflexões; os elogios são compreensíveis.

  • Rubyane Santos

    Em 08.06.2016

    Já faz um tempo que tenho vontade de ler esse livro mas tinha um pouco de receio. Sua resenha me deixou com mais vontade ainda de ler ele.
    Acho que esse livro tem cara de ser aquele tipo de livro que todo mundo deveria ler.

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Que bom que minha resenha contribuiu com sua vontade, Rubi! E concordo: todos deveriam ler mesmo.

  • Catharina Mattavelli Costa

    Em 08.06.2016

    Oie
    que linda a capa estrangeira. Eu li o livro faz tanto tempo e sinto que não peguei a essência dele, preciso muito reler pois não lembro de mais nada e adoro esse tema sabe ? Bela resenha e dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    É um livro que vale a pena ser lido e relido várias vezes mesmo, Catharina!

    Obrigada :3

  • Débora Costa

    Em 08.06.2016

    Eu sou loca demais pra ler esse livro. Jay Asher é um ótimo escritor, eu gosto da forma como ele cria e desenvolve os personagens dele durante o livro. Uma pena mesmo eu ainda não ter colocado essa leitura na minha estante.

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Nossa, Déb, espero que você leia esse livro um dia! Conheço dois trabalhos do autor e concordo com você. Ele é bom mesmo.

  • Quel

    Em 08.06.2016

    Menina, fiquei encantada com essa resenha. Essa obra sempre me deixou bastante curiosa, mas como você mesma disse, é super difícil de encontrar, já faz tempo que procuro e não encontro.
    O enredo parece ser incrível.

    Abraços

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Obrigada pelo elogio à resenha, Quel! Espero que você consiga encontrar o livro um dia ;-;

  • Gabriela Erler

    Em 08.06.2016

    Esse livro é tão bem comentado, que eu estou com uma vontade imensa de lê-lo. Gosto de histórias com temas fortes assim, me fazem refletir e ajuda a entender um pouco o que se passa na cabeça dessas pessoas. Adorei a forma que você falou do livro, realmente me tocou.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura || Participe do top comentarista de julho e concorra aos livros O Amor nos Tempos de #Like e Em Algum Lugar nas Estrelas

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 08.06.2016

    Obrigada por elogiar a resenha, Gabi!

    E sim, é exatamente isso! Esse é um dos grandes fatores que tornam leituras como essa importantes. Entender, ainda que minimamente, o que alguém com esses pensamentos sente. Podemos, assim, nos tornar mais empáticos com o próximo e, quem sabe, ajudar a evitar alguma tragédia :~~