Kisa,

Em 12.09.2016   Arquivado em Lembranças

Você nasceu destinada a fazer parte da nossa família.

Era tarde de algum dia de março quando vi sua foto no facebook. Você, toda rechonchudinha, posava no meio de suas duas irmãs como se fosse a líder daquele trio. Aquela era a foto que anunciava a adoção das três filhotinhas e minha mãe, sua avó, se encantou por seu charminho assim que a viu ali. Foi por você que perguntei quando entrei em contato para saber mais sobre como poderia adotá-la, mas veja, Kisa, alguém tinha chegado antes. Você estava reservada para outra pessoa.

Eu agradeço aos céus por ter sido assim, filha. Caso tivéssemos te buscado ainda em abril, hoje você não seria Kisa e sim Nana, e a Nana de hoje, sua irmã, provavelmente não estaria aqui com a gente. Mas é como disse lá em cima: você nasceu destinada a fazer parte da nossa família. Quando é pra ser, não tem nada nem ninguém que mude isso. A pessoa que tinha pedido pra te adotar nunca apareceu e se eu pudesse dizer uma coisa a ela hoje, Kisa, seria um muito obrigada do tamanho do mundo. Muito obrigada mesmo! Sou grata demais por ela não ter aparecido. Assim eu pude te trazer pra casa também, quase um mês depois da chegada de Nana, e a nossa família ficou ainda mais completa. Eu, meus pais e vocês duas, as peludinhas mais lindas que poderíamos ter encontrado.

O primeiro dia foi complicado, eu sei. Vi nos seus olhos arregalados e no quanto queria ficar escondida embaixo da cama, longe de todos nós. Foram coisas demais pra uma gatinha só, tudo da noite pro dia. Mudança de ambiente, a presença de três humanos estranhos doidos pra te dar carinho, uma gatinha que só queria saber de te encurralar e fazer cara feia quando você se aproximava demais. Você estava assustada. Muito, por sinal. Até que cansou de levar patada daquela baixinha atrevida e partiu pra cima, as duas rolando no chão, uma grudada na outra. Separamos. Bronqueamos as duas. Vocês são irmãs! Apesar da diferença gritante de tamanho — seus pelos longos e os dela curtos, você rechonchuda e ela magrela, ela com cara de dois meses e você com jeito de seis –, são irmãs da mesma ninhada, tinham mais é que voltar a ser amigas!!!!

E você tentou. Depois dos desentendimentos iniciais, você tentou chegar perto, deitar do lado, demonstrar carinho com lambidinhas no topo da cabeça. Foi uma das cenas mais lindas que vi até hoje, Kisa, meu coração ficou derretido! Claro que Nana acabou com toda a magia mostrando as unhas e fazendo cara feia, ela ainda não tinha se deixado cativar pelo seu jeitinho, mas ali, naquele dia, vi o quanto você é carinhosa e como queria ser aceita.

Por sorte, não demorou pra baixinha dar o braço a torcer. No dia seguinte vocês estavam rolando pelo chão de novo, mas dessa vez já era sinal de brincadeira. Logo passaram a dormir juntas, uma embolada na outra — mal dá pra saber onde termina Kisa e começa Nana –, e a correr pela casa brincando de pega-pega — muitas vezes acabam me pisoteando, mas fazer o quê?!

Com a gente a integração foi mais demorada. Você não gosta de colo. Se retrai inteira quando nos aproximamos pra fazer carinho e na primeira oportunidade corre pra escapar das nossas mãos. À noite, porém, vem ligeira pras nossas camas pronta pra dormir no calor dos cobertores. Quando quer chamego, começa a nos cercar, miando arrastadinho. Kisa, o seu miado é a coisa mais linda do mundo! Baixo, rouco e fino também. A vontade é de te abraçar e apertar muito, muito, muito nessas horas, mas você fica assustada com demonstrações efusivas de afeto, então só acaricio sua cabeça e coço sua barriga quando você se joga no colchão. E você miiiiia, menina, quase como quem pede “continua, mãe!”. Vou continuar sempre que você quiser.

É amor demais, sabe? Amo os pelos arrepiados embaixo das suas orelhas. Amo ver o quanto você gosta daquela ração com molho. Amo quando você se aproxima por conta própria. Amo te ver brincar com aquele porco (nunca fiquei tão feliz por ver algo meu sendo destruído). Amo ouvir seus miados. Amo o quanto você ama Nana, e amo acompanhar o carinho que uma demonstra ter pela outra.

É amor demais por você, Kikinha.

  • Mareska

    Em 12.09.2016

    MDS QUE POST AMÁVEL *-*

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 12.09.2016

    OBRIGAAAAADA <33

  • Cíntia de Melo

    Em 12.09.2016

    ai meldels que fofura! <3
    to doida por um gatinho em casa, esperando o namorado liberar =)

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 12.09.2016

    Ai, Cin, é a coisa mais maravilhosa ter essas peludinhas bem pertinho ;-; torcendo pra você conseguir convencer o namorado. Não vão se arrepender, garanto!

  • Simone

    Em 12.09.2016

    Que texto mais amor, ter um bichinho é tão bom, tanto amor. Parabéns *.*

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 12.09.2016

    É uma das coisas mais incríveis que me aconteceram esse ano <3

    Obrigada, Si!

  • Clayci

    Em 12.09.2016

    Eu sou apaixonada por ela e sinto vontade de apertar mesmo ela não gostando hahaha.
    Sua família é linda.. e simmmmmmmm
    as coisas acontecem e ela nasceu para ficar com vcs <3

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 12.09.2016

    Aaaaaah, ela ia ficar louca pra se desvencilhar do abraço ;-; JDFNGJDFNGJDNGJ
    Destino é destino, né Clay? <3

  • Mari

    Em 12.09.2016

    Que post mais lindo!!! Muito amor!!!
    Beijos!

  • POR DEUS, Nicolle!

    Em 12.09.2016

    Obrigaaaada, Mari <3